Orquestra Jovem Popular estreia em abertura da Secitex

Por Gabriela Severiano (estagiária da Reitoria)

A Orquestra Jovem Popular, um projeto encabeçado pelo professor Valdier Santos Júnior, do Campus Natal Central, tem como proposta representar o IFRN musicalmente no Rio Grande do Norte. À Banda Sinfônica que existia anteriormente foram adicionados instrumentos de corda – como violino, violoncelo e viola – mudando a proposta do grupo para a de uma orquestra sinfônica.

“O IFRN tem mais de 100 anos, então é importante que tenha uma orquestra, algo que represente o Instituto em todo o Rio Grande do Norte”, explica o professor Valdier. O foco da orquestra, diferente de muitas outras no estado, é a música popular, trabalhando muitas vezes com pesquisas por parte dos alunos sobre o que na música popular pode ser tocado na orquestra. Atualmente, há 46 instrumentistas na orquestra, todos alunos do IFRN, o professor também cita como objetivo do projeto abranger alunos de vários campi do Instituto.  Na abertura da Secitex, onde houve a estreia da orquestra, a regência ficou por parte de Valdier e de Amós Andrade.

A orquestra também representa para os alunos a oportunidade de ter acesso à educação musical. “Sempre existiu a dimensão de que estudar música é coisa de pessoas com uma estrutura econômica elevada. Com a inclusão dos alunos na Orquestra, de fato, estamos diminuindo as desigualdades entre os que têm dinheiro, que podem pagar aula em escolas especializadas de música que, por sinal, cobram um valor bem elevado e os que não podem pagar”, exemplifica o professor Valdier. Para um aluno fazer parte da orquestra, ele deve ter pago a matéria de “Arte Música”, um edital para a inclusão de novos integrantes da orquestra será aberto em dezembro.

Outra oportunidade a qual os alunos têm acesso são os cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) na área de música, além da infraestrutura disponibilizada a eles pelo IFRN, a exemplo da sala de música onde estudantes de piano podem praticar e os instrumentos emprestados para alunos levarem para casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *